Centro de estudos facilita a vida de quem vai fazer o Enem

Falta pouco mais de dois meses para o Enem 2019. É hora de dar foco total ao estudo das matérias, e se dedicar o máximo possível. Para facilitar e organizar a vida de quem está vivendo esse desafio, o Guia Enem do GLOBO preparou um centro de estudos completo.

O ambiente conta com simulados personalizáveis, banco de videoaulas de diferentes matérias e questões antigas do Enem, aplicadas entre 2010 e 2016, já agrupadas por área e assunto-chave.

Conheça o Centro de Estudos do Guia Enem 2019

Na parte Intensivão 2017, os cadastrados no centro podem montar um plano de estudos revisando os temas mais cobrados no Enem, como estequiometria, circuitos elétricos e ondas, na área de ciências da natureza, e estatística e grandezas proporcionais, em matemática.

E mais: entre agosto e outubro, duas etapas do Simulado Enem irão trazer conteúdo inédito com o método de correção TRI, o mesmo utilizado pelo Enem.

O Centro de Estudos conta com tecnologia do Colégio 24 Horas e conteúdo do QG do Enem e do Eleva Educação.

Para ter acesso ao conteúdo completo, basta se cadastrar no Centro de Estudos do Guia. Clique aqui e veja como.

Centro de estudos facilita a vida de quem vai fazer o Enem
5 (100%) 1 voto

O peso do Enem: saiba como evitar dores no corpo após os estudos

CORREIO traz dicas de postura e exercícios físicos que podem aliviar a rotina desgastante da preparação para o exame

São dois pesos que a pré-vestibulanda Alaine Sampaio, 18 anos, passou a carregar sobre os ombros depois que começou a sonhar em ocupar uma cadeira no ensino superior. O primeiro é a pressão de vencer a concorrência e ter o nome na lista dos selecionados no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem 2018). O segundo veio com a rotina de quase nove horas de dedicação aos estudos.

A maratona de leituras e exercícios rendeu à jovem dores na região dos ombros e na lombar que se acentuam à noite, justamente no horário em que ela deveria estar se recuperando para mais um dia de aprendizado. “É como se tivesse algo muito pesado sobre mim, um cansaço muito grande”, reclama.

A queixa da jovem é comum entre outros estudantes que permanecem sentados por horas na mesma posição e, às vezes, de maneira errada. Para ajudar na preparação, o CORREIO trouxe dicas de postura, alimentação e exercícios físicos que podem aliviar a rotina desgastante dos estudos.

Se a desculpa é por falta de tempo, não se preocupe, porque os alongamentos, por exemplo, podem ser feitos em cinco minutos, entre a leitura de um livro e outro. O que não pode é deixar a saúde de lado, já que é preciso estar preparado para enfrentar as 180 questões da prova.

Exercite-se

O cansaço e o desgaste mental são comuns nessa reta final – o Enem será realizado em novembro. Nada melhor do que colocar um tênis e sair para dar uma volta. O cérebro precisa de um descanso, e o corpo necessita estar em plena atividade.

Se preferir, nem precisa sair de casa, tampouco ficar horas na academia. Para o educador físico Renato Figueiredo, o que importa não é a quantidade de horas que se gasta praticando algum exercício, mas sim a intensidade dele.

Inclusive, alguns estudos apontam que a atividade física é responsável pelo desenvolvimento de células que ajudam na concentração e, consequentemente, no aprendizado e fixação do contéudo”, complementa.

Quem não pratica exercícios físicos e passa muito tempo fixando contéudo e escrevendo pode desenvolver problemas mais graves nas articulações, como a epicondilite lateral – doença muscular comum entre pessoas que repetem excessivamente o mesmo movimento, como é o caso dos tenistas. “A dica é tirar pelo menos três dias da semana para praticar alguma coisa, mesmo que a rotina de estudos seja intensa. Isso reduz o estresse dessa reta final, previne dores muscalares e, sem dúvida, influencia no resultado final do candidato”, diz o educador.

Postura

É difícil manter a postura alinhada na cadeira por muitas horas. A posição deitada pode até ser confortável, mas, com o passar do tempo, pode causar problemas sérios na cervical. E a melhor forma de prevenir isso é fazendo alongamentos, como explica a fisioterapeuta Taynan Lage.

“É comum sentir um certo incômodo e, na busca de uma posição mais confortável, a pessoa acaba flexionando a cervical para ficar mais próximo do livro ou do computador, enrolando os ombros. Por conta da flexão da cervical para frente, o pescoço, ombros, região dorsal e lombar acabam ficando tencionados”, explica ela.

Leia também: Alimentação correta ajuda o aluno a ter boa memória para o Enem; veja dicas enem 2018

E nem é preciso levantar da cadeira para começar a movimentar o corpo. Basta apenas, a cada 20 minutos, ou quando o corpo começar a sentir o peso do cansaço, realizar movimentos circulares com as mãos, pés e o pescoço. Mexer esses membros, além de relaxar os músculos, melhora o fluxo sanguíneo. “Isso também ativa a liberação de oxigênio, dando uma sensação de alívio. Outra dica é, a cada 50 minutos, dar uma volta pela casa, ir até cozinha ou varanda”, ensina Taynan.

E nem pense em estudar na cama ou deitado. Se for utilizar o computador, é preciso manter os olhos na mesma altura da tela, sem esquecer de permanecer com os antebraços apoiados na mesa e os pés fixados no chão.

O peso do Enem: saiba como evitar dores no corpo após os estudos
5 (100%) 1 voto